Métodos de interrupção da menstruação e suas vantagens

Interrupção da menstruação: vantagens e desvantagens
18 de março de 2019
Hidratação durante a menstruação
25 de março de 2019

Métodos de interrupção da menstruação e suas vantagens

Existem algumas opções para parar de menstruar, explica o dr. Rogério. “Uso da pílula combinada – que contém os hormônios estrógeno e progestágeno -, da pílula somente com progestágeno, do anticoncepcional injetável trimestral ou do sistema intrauterino hormonal são as principais disponíveis hoje no mercado”.

A escolha do método deve ser feito junto ao ginecologista, que apresentará à mulher as características de cada um deles, permitindo a tomada de decisão.

Mas o dr. Rogério adverte que as mulheres devem se informar corretamente sobre os métodos e não se iludir, pois a interrupção total da menstruação não ocorre em todos os casos.

“As estatísticas mostram que cerca de 80% das mulheres param de menstruar após 6 meses de uso contínuo de pílula anticoncepcional. Na injeção o índice cai para 50%. Já com os dispositivos intrauterinos, são 60% dos casos. O restante das mulheres acaba tendo sangramentos irregulares”, explica.

Ainda segundo dr. Rogério, não existem métodos mais seguros do que outros, o que existe é o uso correto. Por exemplo, no caso da pílula, os riscos de engravidar são de 0,1%, mas podem ocorrer erros ou esquecimento durante o uso, fazendo com que o risco suba para 8%.

Os anticoncepcionais, no entanto, podem ter outros benefícios agregados à anticoncepção.

Para quem pensa que a pílula só serve como método anticoncepcional, aí vai uma curiosidade: existem outros benefícios que ela pode trazer para a mulher, tais como redução da oleosidade da pele e do cabelo; diminuição das cólicas menstruais e da anemia; menores chances de câncer de ovário, de útero e do endométrio; e melhora na artrite reumatóide são alguns deles.

Outro método bastante utilizado no passado é a laqueadura, que em 1996, em pesquisa do Ministério da Saúde, já havia sido procurado por 40% das mulheres adultas. Já no último registro, em 2006, este percentual havia caído para 30%. “Por se tratar de um método definitivo, o conselho é que se pense muito bem antes de aderir a ele”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *