Covid – 19
23 de março de 2020
Isolamento
25 de março de 2020

Pandemia

O atual cenário mundial relacionado ao surto de Covid-19 preocupa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o caso como uma pandemia. Segundo o diretor- executivo do programa de emergências, Michael Ryan, o termo não deve ser usado como desculpas para desistir do combate e tentativas de controlar a circulação do vírus.

O conceito de pandemia é utilizado para descrever situações nas quais uma doença infecciosa ameaça um grande número de pessoas de maneira simultânea e mundial. Em geral, elas acontecem quando um novo vírus surge com a capacidade de infectar facilmente e a transmissão ocorre de maneira eficiente e continuada. Um exemplo de pandemia recente é a gripe suína, que provocou a morte de centenas de milhares de pessoas em 2009.

De acordo com a advogada de saúde global da Universidade de Georgetown, em Washington DC, à revista científica Nature, o status de de emergência de saúde pública de interesse internacional serve como um alerta global. Isso significa que países mais ricos e com sistemas de saúde mais bem preparados têm a obrigação de ajudar àqueles com dificuldades na área, a fim de evitar o crescimento exacerbado de casos.

A declaração é o nível de maior gravidade da Organização Mundial da Saúde, visando uma resposta internacional coordenada. Nas últimas décadas, já foram acionadas emergências no caso da pandemia de H1N1 (gripe suína), poliomelite, ebola, vírus zika e outros. A partir desse status, cada nação toma suas próprias decisões frente aos riscos da ameaça.

Um boletim epidemiológico é uma publicação com o caráter técnico-científico, desenvolvida para os casos de monitoramento e investigação de doenças específicas sazonais. Sendo assim, funciona como um instrumento de vigilância para promover a disseminação de informações relevantes qualificadas que contribuem para o bom andamento da saúde pública do Brasil.

Diante da ameaça do coronavírus, a Secretaria de Vigilância em Saúde divulgou um boletim para explicar os critérios clínicos e epidemiológicos para definição de casos suspeitos e, dessa maneira, trazer orientações sobre avaliação, encaminhamento e transporte do paciente. A publicação tem periodicidade mensal e semanal, formato eletrônico e é de acesso livre. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *