Cardiopatias, gravidez e medicamentos

Você conhece todos os tipos de absorventes?
9 de abril de 2020
Gravidez sem álcool
16 de abril de 2020

Cardiopatias, gravidez e medicamentos

Muitas mulheres, ao iniciarem a gravidez, ficam em dúvida se devem ou não continuar tomando seus remédios diários. No caso daquelas que sofrem de doenças do coração, a escolha incorreta pode trazer enormes prejuízos para o bebê e para si mesmas. Os antiarrítmicos são essenciais no controle e no bem-estar da saúde dessas pacientes e é preciso muito cuidado na hora de alterar seu uso.

A doutora Maria Rita Bortolotto, médica gineco-obstetra e diretora técnica da Clínica Obstétrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, frisa que a interrupção abrupta na utilização dos fármacos pode piorar o quadro de falência cardíaca, baixar a oxigenação para o feto ou até mesmo implicar aumento do perigo de parto prematuro.

O ideal nesses casos é consultar uma opinião profissional para saber em qual estágio a cardiopatia está, além de quais medicamentos podem ser mantidos e em quais doses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *