Alimentação recomendada

Cerca de 80% das 17,3 milhões de mortes anuais em decorrência de doenças cardiovasculares podem ser evitadas a partir da adoção de alimentação saudável, rica em nutrientes capazes de proteger veias e artérias. Este dado está nas estatísticas da Organização Mundial da Saúde e serve de alerta para a relação entre o que se come e um coração saudável.

Um terço do colesterol que circula no sangue é proveniente da dieta. Quando rica em gorduras saturadas, eleva a produção hepática do colesterol e o nível de LDL(colesterol ruim) aumenta, assim como o número de doenças cardíacas. Não somente, pode causar o desenvolvimento de aterosclerose, a qual consiste no acúmulo de placas de gorduras nas artérias do coração e do cérebro, elevando as chances de infarto e derrame.

Atitudes simples como evitar consumo exagerado de alimentos processados e industrializados, sal e álcool, podem contribuir para a saúde de todo o corpo.

Veja abaixo as características de alguns tipos de alimentos e o que é e o que não é recomendado para sua alimentação:

Frituras

 
 

 

Alimentos como quibes, coxinhas, pastéis e batatas contêm grande quantidade de óleo em seu preparo e o tempero, em geral, sal excessivo. Submetidos a altas temperaturas, sofrem a glicação, modificando suas moléculas – esta é a principal causa de doenças clínicas vasculares em diabéticos. Além disso, são ricas em gordura trans: segundo a OMS, o máximo de gordura trans a ser consumido por dia é 2 gramas, enquanto uma porção média de batatas fritas pode apresentar 8 gramas.

 

Manteiga e Margarina

 
 

 

Com alta concentração de gordura, ambas devem ser consumidos até, no máximo, 25 gramas por dia. Todavia, a manteiga possui muita gordura saturada e, por isso, o mais indicado é a margarina. Mas atenção ao rótulo: escolha as que tenham em suas composições gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas, que ajudam a diminuir o colesterol.

 

Bolos Industrializados e Biscoitos

 
 

 

Tais produtos industrializados têm, em sua composição, gordura trans e saturada, açúcar e sódio. Por fazerem parte da rotina da maioria das pessoas, é fundamental observar a quantidade que eles contem. Por exemplo, quatro biscoitos waffer são equivalentes a três gramas de gordura trans.

 

Sorvete de Massa

 
 

 

Pobre em nutrientes, compõe-se basicamente de açúcares, que serão absorvidos pelo organismo rapidamente e transformados em gordura. O consumo em excesso desta gordura e o processo de oxidação que ela sofre podem resultar em formação de placas, além de inflamar artérias, desenvolver doenças vasculares e prejudicar o bom funcionamento do coração, rins e cérebro.

 

Azeite de Dendê

 
 

 

Apesar de conter vitamina E, com ação antioxidante e vitamina A, atuante na prevenção de doenças ligadas à visão, o azeite de dendê tem elevada escala de gordura saturada, que ataca o coração.

 

Embutidos

 
 

 

Causando impacto sobre a pressão arterial, salame, mortadela, linguiças, salsichas, presunto, entre outros alimentos embutidos, contam com elevada taxa de gordura trans e sódio. Possuem, também, alta concentração de nitritos e nitratos, usados na sua fabricação e que podem ser cancerígenos, aumentando as chances de desenvolver câncer de pâncreas e intestino.

 

Salgadinho de Milho e Batata

 
 

 

Além de ter uma série de produtos químicos, capazes de gerar alergias, um pacote de 63 gramas de salgadinho de milho apresenta 17% do valor diário de sódio recomendado – quando consumido em excesso, pode acarretar em pressão alta e doenças renais. O mesmo pacote também tem o valor diário de 32,5% de gorduras totais e 10,3% de gorduras saturadas. Já o de batata, em uma embalagem de 50 gramas, há 33% do valor diário de gorduras totais e 9% de saturadas.

 

CONFIRA ABAIXO OS ALIMENTOS RECOMENDADOS PARA SUA ALIMENTAÇÃO

Azeite de Oliva

 
 

 

Com significativa composição de vitamina E, minerais e antioxidantes, é capaz de reduzir o colesterol ruim e aumentar o bom. O extravirgem é a melhor opção – mais puro, com todos os nutrientes preservados. É, também, fonte de gorduras monosaturadas, a mais saudável.

 

Castanhas

 
 

 

São importantes fontes de magnésio, que favorece a saúde cardiovascular. Além disso, também contêm grande quantidade de gorduras poliinsaturadas, proteínas, fibras, selênio, cálcio, potássio, ferro, vitamina E, zinco e ácido fólico. Todavia, seu consumo deve ser moderado, de aproximadamente seis unidades ao dia, devido seu alto teor calórico.

 

Frutas Vermelhas

 
 

 

Apresentam boa quantidade de antioxidantes, protegendo as paredes das artérias. A jabuticaba, por exemplo, ajuda a reduzir o açúcar do sangue e a combater doenças do coração. Estudo realizado pelo Departamento de Alimentação e Nutrição da Universidade Estadual de Campinas indicou que, após comer a casca da jabuticaba por 30 dias, houve diminuição de 50% no nível de colesterol entre os participantes. Grande parte das frutas vermelhas contém, também, fósforo, cálcio, vitaminas e minerais.

 

Legumes e Vegetais

 
 

 

Ricos em potássio, cujo papel representa importante contribuição em reduzir os níveis da pressão arterial, devem ser consumidos crus e naturais. O espinafre, em especial, conta com alto teor de ácido fólico também, reduzindo as chances de desenvolver doenças cardíacas.

 

Peixes

 
 

 

Conta com altos níveis de gorduras boas, como o Omega 3, que auxilia na redução dos triglicerídeos e do LDL. Entre as opções, sardinha, atum, cavala, anchova e salmão, por exemplo, e outros oriundos de águas frias, profundas e salgadas.

 

Vinhos e Uvas

 
 

 

O principal da uva é o flavonóide, conhecido como resveratrol, que se destaca por reduzir as doenças cardíacas, além te conter agentes antienvelhecimento. O consumo deve ser, preferencialmente, das uvas vermelho-escuras, suco ou vinho. Porém, para a bebida alcoólica, é indicado um cálice para mulheres e dois para homens.

 

Alho

 
 

 

É um dos alimentos que fornece proteção de doenças cardiovasculares, ao promover o relaxamento dos vasos e artérias e diminuir a dilatação. Isso acontece graças a um nutriente específico: a alicina, que estimulada pela temperatura, é liberada quando o alho está em cozimento e favorece a circulação.

 

Veja também