Câncer ginecológico

Saúde da mulher e câncer de mama
20 de outubro de 2021
Inteligência Artificial contra o Câncer de Mama
11 de novembro de 2021

Câncer ginecológico

O câncer ginecológico é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres, e por isso, deve ser um assunto debatido mais amplamente, sobre cuidados e prevenção.

Felizmente, a estatística de mortalidade vem diminuindo com o passar dos anos, uma vez que os métodos de prevenção, diagnóstico precoce e tratamento experimentaram grandes avanços nos últimos anos, além das campanhas de conscientização, que também têm um papel muito importante.

Segundo um estudo publicado em 2017, no período de 2007 a 2017 a mortalidade global por câncer ginecológico, para cada 100.000 mulheres por ano, diminuiu em 7,2% para o câncer do colo do útero, 11,2% para câncer do corpo de útero, 1,7% para o câncer de mama, e aumentou em 1,1% para o câncer de ovário.

Já segundo o Dr. Jesus Paula Carvalho – Professor Livre Docente da Disciplina de Ginecologia da FMUSP e Chefe de Equipe de Ginecologia Oncológica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, o câncer ginecológico representa quase a metade de todos os cânceres que ocorre na mulher.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), somente em 2020 tivemos 66.280 casos de câncer de mama, 16.710 casos de câncer no colo do útero, 6.650 casos de câncer no ovário e 6.540 casos de câncer no corpo do útero. Desses números, grande parte das mulheres vieram a óbito, sendo 18.068 óbitos por câncer de mama, 6.596 óbitos por câncer no colo do útero e 4.123 óbitos por câncer de ovário. Infelizmente, ainda são números exorbitantes, e por isso as campanhas sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento desses tipos de cânceres são tão importantes.

Mas claro que, conhecer o nosso corpo também é fundamental para uma primeira etapa de diagnóstico. Sinais como dores recorrentes, anormalidades ou alterações na região íntima, inchaço, sangramento vaginal anormal ou febre com duração superior a 7 dias, são indicativos de que um médico deve ser procurado para avaliar a sua situação. Esses sinais, obviamente, não são regras e não querem dizer necessariamente que existe algum tipo de câncer, mas são importantes pontos de atenção para procurar recomendação médica e solicitar um diagnóstico.

Mas além de estar atenta aos sinais, os exames de rotina também devem ser feitos anualmente. Dessa forma, qualquer alteração pode ser um indicativo de que algo não vai bem, e quanto antes acontece a descoberta, mais eficaz e rápido será o tratamento.

A prevenção pode salvar inúmeras vidas, por isso, não deixe de consultar seu médico e buscar informações disponibilizadas por meio das campanhas. Se cuide!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *